O acordo visa estruturação e ampliação da capacidade do Centro de Referência Estadual da Rede Mandioca com aquisição de equipamentos e de embalagens padronizadas

O secretário executivo da Cáritas no Maranhão Ricarte Almeida Santos no momento da assinatura do convênio

A Cáritas Brasileira Regional Maranhão e a Fundação Banco do Brasil (FBB) assinaram novo convênio na última sexta-feira (12). O termo foi celebrado na sede da Superintendência Regional do banco, em São Luís. Estiveram presentes os representantes do BB, Alaércio Dutra, superintendente regional, Andrey Kurt, gerente de negócios, Inês Marques e Maria de Lourdes Borges, assessoras, e os membros do secretariado regional da Cáritas no Maranhão, Ricarte Almeida Santos, secretário-executivo, Lucineth Cordeiro, assessora regional e Aurilene Machado, da Coordenação Colegiada.

A nova parceria entre Cáritas e FBB prevê a aplicação de 99 mil reais em compra de equipamentos para o Centro de Referência da Rede Mandioca e a impressão de rótulos e confecção de embalagens padronizadas para os produtos a serem comercializados, além da aquisição de equipamentos para estruturar duas casas de farinha de comunidades que integram a Rede Mandioca. “O principal objetivo do convênio é ampliar a capacidade do Centro Estadual de Referência, contribuindo assim com a abertura de canais de comercialização dos produtos da agricultura familiar e a consequente melhoria de renda das famílias de agricultores que são articuladas através da Rede”, afirmou Lucineth Cordeiro da assessoria regional de Desenvolvimento Sustentável e Solidário.

O secretariado regional de Cáritas do Maranhão, juntamente com a Articulação Estadual da Rede Mandioca, prevê a inauguração do empreendimento solidário para agosto de 2013. O Centro de Referência, que teve suas obras concluídas no início de 2013, é fruto da primeira parceria celebrada entre Cáritas e FBB em 2011. “Estamos na fase de organização, catalogação e estoque dos produtos a serem comercializados. Enfrentamos também as dificuldades da estiagem, que atingiu a produção da agricultura familiar por dois anos consecutivos, por isso tivemos que adiar a inauguração”, esclareceu Ricarte Almeida Santos sobre a data definida para abertura e o funcionamento regular do Centro. (Lena Machado)

No related posts.